segunda-feira, 2 de abril de 2012

A alma dói-me mais

A alma dói-me mais.
Mais ainda que a cabeça,
dói-me mas assim quero
porque sinto vida,
nem que a mão estremeça.

Sinto vida na dor que há em mim
Sinto dó, mas logo me repreendo
(por colorir tão vil pensamento.)

Porque fiz tudo o que podia
e disse mais, mas não me arrependo.

Só as cartas que escrevi, não te dei
mas que importância teriam, se já tudo sabias?

Há cartas que escrevemos com o coração
mas que devem queimar à chama da razão.

Se todo o amor é em vão,
caí de novo, mas levantar-me-ei
e dar-te-ei o meu perdão.

Sem comentários: