quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Sigo a dançar

Não cheguei nem a metade
Estou viva
Sou da verdade.

Vivo sempre em ansiedade.
Da vida sei: contrariedade,
sou velha para a idade
mas busco a felicidade.

Já tinha pensado nisto antes
Mas pensar não é bom.
Vou dançar até esquecer.
Vou seguir o som.
Vou viver.

Não sei de quem é a voz ao fundo.
Não percebo o que me diz.

Se Deus escreve certo,
as linhas estão tortas;
Se for errado,
não finjo derrotas;
Sigo a gritar.
Sigo a dançar.