Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Apresentados

A anciã que fala

O corte mais profundo é o primeiro
Como o sol quando ilumina o mundo inteiro

Não há rosa sem espinho,
Nem pássaro sem ninho,
Nem amor que doa devagarinho

Ouve a velha anciã que fala:
Sente-a dentro de ti
Como a raposa
Cheira a alma

Livre corre, sem amarras
Pois reconhece a verdade em ti


Poema escrito a 22/09/2019
Ilustração: Dimitra Milan

Mensagens mais recentes

caminha sempre com os ombros erguidos

Amo-me mais

balanço

Asas

Frida

Mulher Selvagem

Raízes

Almas gémeas

Gostava que me visses

Diz-me que não és cruel

O amor está sempre a chegar

Malabarista de destinos

As palavras

Ansiedade