domingo, 10 de abril de 2011

Narciso


Que fazer quando o espelho se parte?
(E não vemos os outros, mas o nosso reflexo.)
Que fazer quando perdemos o norte
E sentimos o amargo desgosto,
De nada ser como era suposto...


O teu ego consegue superar-te
Tu não o sabes, porque não sais de ti,
O teu ego está a matar-te
E sabes que não estás bem assim.


Pensas que vês? Pensas que sabes?
Mas, na verdade, quem és tu?
Uma amplificada miragem
Que não se vê a olho nu.

4 comentários:

Samuel Pimenta disse...

É caso para questionar: quando nos vemos nesse reflexo dos espelhos do mundo, somos quem pensamos ser, ou uma projecção do que os outros pensam de nós?
Beijinhos.

SusanaPacheco. disse...

No fundo é esse o paradoxo do eu quando se deixa fragmentar completamente...Quem os outros vêm de nós já é um fragmento daquilo que somos na verdade, ou pensamos que somos. Muitas vezes, já nem sabemos quem somos por nos cingirmos a esse falso eu do "reflexo". Se deixarmos perder a nossa essência e não tentarmos ver os outros e dar mais de nós, caímos no egocentrismo fatal e solitário em que ninguém se reconhece nem conhece ninguém.
Beijinhos e obrigada pelo teu comentário

Eva disse...

Não sei o que é melhor, se é o ego matar-nos ou asfixiá-lo eternamente... se é reflectirmos mais do que somos ou guardarmos para nós aquilo que até poderia ser um belo reflexo...é uma pena ser tão utópica (ou talvez apenas difícil de alcançar) a harmonia.

Orlando Ulisses disse...

eu acho que o narcisismo é sempre algo negativo,não acho saudavel alguem estar apaixonado por si proprio,acho que esse sentimento só deve ser dedicado a outro ser humano!alguem gostar de si prorio é bom e aconselhavel ,mas estar apaixonado é exagerado!