quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

"Dá um doce à criança"


Se o fizeres ela sorri,
Não importa quem és,
Nem se a amas de verdade,
Para a criança, um doce, nunca é maldade

A inocência é pura,
A inocência é cega,
A criança não vê,
Nem sabe porque não nega

Que pena, não posso recusar o doce por ti, criança...
Que o açúcar corrói o amor, 
E pode ter sabor a vingança.

Sem comentários: