sexta-feira, 16 de julho de 2010

«As palavras não importam» mas são tudo

Mesmo escolhidas
é engraçado como, nem sempre,
espelham a verdade
a minha, 
a tua,
o que vagueia pela rua...


E são a razão porque nos agredimos.


Não me dizem nada
Dizem-me tudo


Roubam-nos a esperança
                       Dão-nos razão para continuar


Querem enganar
Querem clarificar...
Mas deixam tudo a esvoaçar, 
[como meros panfletos inúteis...]


Não explicam o que sentimos
Não nos enquadram os destinos
No fundo, 
são só palavras,
[que ousamos escrever.]

8 comentários:

Samuel Pimenta disse...

Acabam por nunca conter a essência do Sentir, mas são essências para, através dele, fazermos Poesia!

m disse...

palavras palavras... a maior arma do mundo! lindo poema,su! :)

SusanaPacheco. disse...

Sim é verdade, são estas palavras de tudo e de nada que me permitem escrever, não vivo sem elas!

São, muitas vezes, a nossa mais poderosa arma mas também o que nos desarma.

Obrigada aos dois!:)

Pedro Coelho disse...

As palavras nunca são fiéis, porque traduzir, como aprendemos, é trair. E as palavras traem os sentimentos e as expressões, as palavras são fugidias e nós também, afinal mais que as palavras, somos nós que tantas vezes fugimos aos sentimentos, à pureza da emoção, não é?

Gostei imenso do poema, pequena bicha.

SusanaPacheco. disse...

Não podia concordar mais, as palavras muitas das vezes
não são suficientes para expressar o indescritível, que são os sentimentos.

Obrigada!Passa sempre por aqui.
:)

Francisco Noras disse...

E que poder têm as palavras! São a força da mente, a chama da vida.

Nobody Knows disse...

Tentativa de exprimir
Por palavras, qualquer situação decidir!
É bem mais dificil do que parece!
O que acontece...
Simplesmente é um medo de falar
nesse momento não exprimindo
correctamente o que se sente, transformando o que se sente no que se diz!

Boa continuação!

Tiago da Bernarda disse...

não existem palavras sem significado nem significado sem palavras.