segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Esta poesia que fica

De volta à escrita 
Como à doença que ressuscita;
Pensava-me curada
Deste mal,
Desta poesia que me dignifica.

A ilusão durou o tempo de fechar os meus olhos
E pisar os vidros do espelho partido
No seu reflexo, apenas o sangue,
De um coração novamente esmorecido.

Este pulsar que senti em mim
 - morre lentamente -  
Rumo à normalidade 
Da vida, sem paixões que mentem.

"We’re stronger in the places that we’ve been broken."
— Ernest Hemingway

Sem comentários: