terça-feira, 10 de setembro de 2013

Adeus


Não se explica o vazio

De perder uma pessoa.

Os problemas triviais não existem

E não há vida que nos doa.


A única pergunta para a qual não sabemos a resposta.

É a morte. É o adeus. O fim da vida que pensamos conhecer.



Mas se Deus é grande, como esperamos, ele te acolhe.

Na tua alma repousa em paz o agir da tua existência, a tua memória.

O amor fica e, com ele, ainda se pode escrever a tua história.


Adeus avô.




"No dia seguinte ninguém morreu"

As Intermitências da Morte - José Saramago

Sem comentários: