sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Apatia

(René Magritte)

Estado de alma,
Quieto de si
Não é bem a calma,
Mas o vazio que ri.

Os ossos não se movem
Tu apenas flutuas
Queres sair desse estado
Mas as mãos que atas são tuas.

Por favor, reage,
Não te quero ver assim
Regressa,
corta essa mordaça imensa,
que te afasta de mim.




Música/ inspiração:"Your Revolution is a Joke" - Funeral For a Friend http://www.youtube.com/watch?v=K4rywEXTMUU

5 comentários:

Mj disse...

Adorei Susy! Mesmo! Acho sempre interessante o tema da apatia. E a forma como o descreves este estado está muito boa! :)

m disse...

A-M-E-I !!!!! :D

Andraws :D disse...

uau tens muito jeito pa fazer poemas!
parabens!
muito bom =)

portadosol disse...

Apatia... doença desta sociedade inerte... amordaçada... inconsciente do seu limitado estado. Apáticos sorriem e acenam... imitadores sem alma...

Outros olhos... olham ... veem e sentem... A Apatia e gritam com as suas palavras... ;) Parabéns... WELCOME

Samuel Pimenta disse...

Ser apático é viver uma vida de inércia, de comodismo e de falta de cor! E a vida, sem cor, cinzenta, perde o encanto. Gostei muito do poema.

Beijinhos.