segunda-feira, 29 de junho de 2015

Um amor por escrito

Tinha um amor por escrito
mas esqueci-me de o escrever.

Guardei a caneta, 
decorei as palavras
mas não mas as usei.

Gastou-se a tinta,
na secura das tramas da vida.

Guardei as ideias
a sete chaves fechadas;
apaguei as imagens
e de tudo fiz miragens.

O amor não foi publicado, 
nem lido por ninguém.


Sem comentários: