segunda-feira, 23 de junho de 2014

Dorothy e o Frágil País de Porcelana

Dorothy queria ver melhor a princesa, por isso correu atrás dela; mas a jovem de porcelana gritava:
«Não me persigas! Não me persigas!»
Tinha uma vozinha tão assustada que Dorothy parou e disse:
«Porque não?»
«Porque,» respondeu a princesa parando também, mas a uma distância segura, «se eu correr posso cair e partir-me.»
«Mas não podias ser consertada?», perguntou a menina.
«Pois podia; mas uma pessoa nunca mais é bonita como era, depois de ser consertada, não sabes?», respondeu a princesa.
«Julgo que não», disse Dorothy.

[excerto retirado de "O Feiticeiro de Oz" (1900), L.Frank Baum]


Eu entendo a princesa rígida
Com existência sub-humana
São as cicatrizes da vida,
São os cacos da porcelana.

Sem comentários: