segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Momentos

Como sou mentirosa
E como minto bem
As palavras são ardilosas
E eu jogo-as como ninguém.

Não me lembrei de ti, meu amor,
Não te consigo esquecer.
Essa é a verdade,
Com que palavras consigo esconder?

Foram instantes breves
Os nossos,
E passaram como tudo passa
Mas algo ficou e demora
Não entendo porque tudo me enlaça...

Quero-te perto
Quero-te fora
Quero-te dentro
Mas sei-te longe daqui...

Choro em silêncio
Falo para um muro
E por vezes respondes:
"Estou feliz por te lembrares de mim"
A realidade é um nó e um sufoco,
E sonho que me ames também assim.


Sem comentários: