domingo, 12 de junho de 2011

sonho distante ou presença constante (?)

Sinto a tua falta,
Logo de ti que pensei nunca sentiria.
Sinto que errei e estou em falta,
Sinto falta do calor e da maresia.

És tu, sempre foste..
Naquele sonho distante,
Naquela noite escura.
Foste tu - que me amaste tanto -
E eu quebrei com meu medo e amargura.

Sou eu, fui sempre eu... nestes dias de solidão,
Nas minhas palavras ditei
Que o passado nunca voltasse.
Sou eu, perdão, sou eu,
Quem agora pede o seu resgate.

Sem comentários: